Segurança Química

A Segurança Química é um conceito global, referente à proteção das pessoas e do meio ambiente, em todo o ciclo de vida dos produtos químicos que, atualmente, abrange: concepção, projeto, desenvolvimento, produção, transporte, armazenamento, utilização e descarte de resíduos, conforme mostra a figura 1.

O QUE E O GHS

Figura 1- O QUE É O GHS ? Sistema Harmonizado Globalmente para a Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos
Disponível em: http://abiquim.org.br/pdfs/manual_ghs.pdf. Acesso em 17 jul 2017.

Cada vez mais, as pessoas estão expostas a misturas complexas de produtos químicos oriundos de emissões atmosféricas, efluentes líquidos e resíduos sólidos, presentes ar, na água, nos alimentos e nos locais de trabalho e de permanência. Nas últimas, décadas tem-se observado um crescimento acelerado no registro de novas moléculas no Chemical Abstracts Service (American Chemical Society), relacionadas à inovação na Química. Além disso, o aumento na produção associado a novas aplicações têm levado a uma crescente dispersão de produtos químicos no planeta, acarretando crescente exposição e, consequentemente, crescente impacto na saúde humana e no ambiente, como mostra a figura 2.

Crescente impacto produtos quimicos saude humana ambienteFigura 2- Crescente impacto dos produtos químicos na saúde humana e no ambiente.

Em março de 2015, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), juntamente com a Convenção da Basileia, Convenção de Roterdã e Convenção de Estocolmo, divulgou uma publicação (UNEP_SDG_FactSheet_March13_2015), alertando que, atualmente, os produtos químicos são a principal causa de mortalidade nos países subdesenvolvidos e em desenvolvimento.

A prevenção de acidentes e doenças relacionados aos produtos químicos demandam esforços dos órgãos públicos, empresas, organizações não governamentais e outros segmentos da sociedade organizada. Dentre as formas de se alcançar os objetivos da Segurança Química, destacam-se a educação e o treinamento, nos diversos níveis, da formação básica no ensino fundamental, ensino médio, formação profissionalizante, universitária e pós-graduação.

No Brasil, as ações governamentais, da indústria e de outros segmentos da sociedade civil vêm sendo desenvolvidas e articuladas pela Comissão Nacional de Segurança Química – CONASQ que, em 03.12.2013, aprovou um Termo de Referência de Educação em Segurança Química, de abrangência nacional. A seguir foi criado o Grupo de Trabalho de Educação em Segurança Química, onde se insere esta iniciativa da INTERTOX, de divulgação de informações estratégicas.

O Sistema de Divulgação de Informações em Segurança Química tem por objetivos:

1- Alertar a sociedade brasileira para o protagonismo da poluição química, em todas as suas formas, na mortalidade e morbidade nos países em desenvolvimento e subdesenvolvidos.

2- Sensibilizar os dirigentes das organizações brasileiras para o estabelecimento de sinergias interinstitucionais, com vistas à racionalização dos recursos e ao fortalecimento das ações preventivas e corretivas na área de Segurança Química, para atingimento da meta de gestão química efetiva em todos os países, até 2020.

3- Ampliar a Rede Brasileira de Educação em Segurança Química, constituída por profissionais e instituições comprometidos com o tema.

4- Contribuir para o desenvolvimento e consolidação de uma Cultura de Segurança Química no país.

Escrito por Newton Richa – Representante da UFRJ na Comissão Nacional de Segurança Química/MMA.

{loadmodule mod_convertforms,Convert Forms}