A importância do Gerenciamento de Resíduos

A importância do Gerenciamento de Resíduos
10 anos atrás

O que é o gerenciamento de resíduos?

Segundo a política Nacional de Resíduos (Lei nº 12.305 de 2010) o gerenciamento de resíduos é um conjunto de ações exercidas, direta ou indiretamente, nas etapas de coleta, transporte, transbordo, tratamento e destinação final ambientalmente adequada dos resíduos sólidos e disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos, de acordo com plano municipal de gerenciamento de resíduos.

A ausência de gerenciamento de resíduos químicos

A ausência de tratamento e a incorreta disposição dos resíduos sólidos podem levar à contaminação do solo e de águas subterrâneas, podendo comprometendo o meio ambiente e a saúde pública. O gerenciamento de resíduos continua sendo a questão central do problema, tendo em vista que as formas corretas de manejo, transporte e a disposição final ambientalmente adequada são processos custosos.

Em função disso, observam-se novas tendências em relação às políticas adotadas por algumas empresas e, num plano político, defendida por muitos países: a minimização da geração de resíduos, o incentivo à reciclagem e a recuperação dos materiais e sua conversão em produtos utilizáveis, compostos ou energia.

Exemplos de resíduos conforme as classificações expostas:

Classificação de resíduos:

Atual os resíduos são classificados seguindo a ABNT NBR 10.004/2004, onde determina que resíduos podem ser classificados conforme suas características que podem trazer consigo elementos que determinem sua toxicidade, inflamabilidade, corrosividade, patogenicidade e mutagenicidade. A partir destes elementos, podemos obter duas categorias de classificação de resíduos, sendo elas:

Resíduo classe I – Perigoso

Resíduo Classe II – Não perigoso

As classes já deixam muito claro a natureza por trás do resíduo em sua classificação. Neste ponto, faço um destaque para os resíduos que se enquadrem na classe II (não perigosos), onde está classe se divide em duas sub-classes, sendo elas:

Classe IIA – Resíduo não perigoso e não inerte;

Classe II B- Resíduo não perigoso e inerte;

Ambas as subclasses indicam que este resíduo não demostra perigo ao meio ambiente, porém, possuem características especificas que devem ser consideras no momento da escolha da tecnologia empregada na disposição final.

Para que serve o gerenciamento de resíduos?

O gerenciamento do resíduo serve de forma sucinta, como uma maneira adequada de manusear os resíduos gerados na unidade de forma a evitar possíveis acidentes e com isso contaminações nos compartimentos ambientais como água e solo. Faz parte da gestão prever cenários indesejados, ou seja, considerar que é possível ocorrer vazamentos e/ou contaminações de forma acidental, e para isso você deverá ter uma equipe capacitada para identificar e atuar nestes cenários de emergências. O gerenciamento de resíduos também é uma forte aliada com relação ao controle da geração, podendo ser fonte de mudança no escopo produtivo ou no uso de certas materiais-primas que podem diminuir a geração de resíduos em processos produtivos específicos, sem contar que a prática da gestão de resíduos por certos seguimentos está preconizado no Artº nº 20 da Lei 12.305 de 2010. 

Como é realizado o gerenciamento?

O Gerenciamento é um feito através de um mapeamento da geração de resíduos dentro do processo produtivo da empresa, que visa observar os pontos de geração, procedimentos de manuseio e acondicionamento, treinamento de funcionários, características dos resíduos gerados com o intuito de levantar pontos críticos em todo o processo buscando o sanar possíveis desvios e buscando melhorias de forma específica a cada etapa, inclusive no descarte.

Implementações práticas no gerenciamento de resíduos

Para que haja a implementação de práticas visando o gerenciamento de resíduos perigosos, antes de mais nada há a necessidade de mudança de atitude dos causadores, uma vez que o gerenciamento tende-se a ser visto como um custo adicional e não como redução de custos.

Geradores de resíduos químicos têm por obrigação a ética de minimizar e manejar corretamente os materiais residuais produzidos.

No plano da sociedade, deve-se trabalhar a conscientização, reeducação e motivação do ser humano a fim de minimizar os impactos adversos provocados pelos resíduos no meio ambiente.  A mudança de atitude busca acima de tudo a:

  • Preservação ambiental;
  • Protegendo o solo;
  • O ar;
  • As coleções hídricas superficiais e subterrâneas de contaminação.

O resultado social disso é a proteção à saúde e a população em relação aos riscos potenciais oriundos da manipulação, tratamento e disposição final inadequada.

A importância do gerenciamento de resíduos nas empresas

O gerenciamento de resíduos é parte integrante do processo de licenciamento ambiental, também possui diversas exigências preconizadas na Política Nacional de Resíduos tem diversas Normas e Instruções normativas para está temática, o que impõe importância e deixa claro que os órgãos ambientais e entre outros matem um olhar constante e atencioso neste tema. 

A Intertox oferece cursos de capacitação para o tema de resíduos ministrado por profissionais capacitados e experientes na área. Também elaboramos Plano de Gerenciamento de Resíduos conforme exigência da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei nº 12.305), e conduzimos estudos de viabilidade técnica econômica de resíduos com enfoque na busca das melhores práticas para a destinação, manuseio e pareceres técnicos voltados a legislação de resíduos e logística reversa.

Normas Técnicas no gerenciamento

Considerando a proposta de gerenciamento de resíduos químicos, a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) publicou no dia 06/01/2011, a ABNT-NBR 16725:2011 que propõe a elaboração da FDSR (Ficha com Dados de Segurança de Resíduos químicos e Rotulagem), visando a redução de riscos e maior segurança para receptores e outros envolvidos com o resíduo químico. A Intertox, por meio de sua equipe especializada e capacitada, ministra também treinamentos e palestras que abordam a compreensão, adequação e aplicação da ABNT-NBR 16725:2011, além da elaboração de FDSR e rotulagem de resíduo químico perigoso.

Fontes:

KRAEMER, Maria Elisabeth Pereira. A questão ambiental e os resíduos industriais. Disponível em: http://br.monografias.com/trabalhos/residuosindustriais/residuos-industriais.shtml#residindust>. Acesso em: 29 ago. 2011.

PEDROZA, Ana Carolina. A importância do gerenciamento dos resíduos químicos. RevInter Revista Intertox de Toxicologia, Risco Ambiental e Sociedade, v. 4, n. 2, p. 163-178, jun. 2011. Disponível em:< https://intertox.com.br/documentos/v4n2/rev-v04-n02-12.pdf>. Acesso em: 29 ago. 2011.

Ainda tem dúvidas sobre gerenciamento de resíduos

Veja o curso completo sobre o tema em nossa loja de cursos aqui no site da Intertox

admin

admin

0 Comentários

Seu comentário: