Ecotoxicologia: Identificados novos gases que destroem a camada de ozônio

Cientistas britânicos identificaram quatro novos gases que contribuem para a destruição da camada de ozônio. A concentração destes gases é pequena, porém a taxa de acumulação de dois deles tem trazido grande preocupação.

A camada de ozônio funciona como uma proteção natural contra a radiação dos raios ultravioleta emitidos pelo sol. Sem esse filtro formado ao longo de milhares de anos, o desenvolvimento de todas as formas de vida encontradas no planeta seria impossível. Apesar da sua relevância, a camada de ozônio começou a sofrer os efeitos da poluição crescente com a industrialização mundial.

Os principais causadores da destruição da camada de ozônio são produtos químicos como halon, tetracloreto de carbono (CTC), hidrofluorcabono (HCFC), CFC (clorofluorcarbono) e brometo de metila. Os CFCs foram largamente usados até o fim da década de 1980 e meados dos anos 1990 como propelentes na fabricação de aerossóis, como expansores de espumas, na fabricação de equipamentos de refrigeração e de plásticos. Na camada de ozônio os CFC (clorofluorcarbonos) desintegram-se liberando cloro, sendo este o principal elemento que reage com o ozônio, comprometendo a barreira natural.

De acordo com a pesquisa realizada pela Universidade de East Anglia, os novos gases que contribuem para a destruição da camada de ozônio são de origem desconhecida, porém suspeita-se que uma das possíveis fontes são insumos químicos para a produção de inseticidas e solventes para limpeza de componentes eletrônicos. Outro dado importante da pesquisa foi que antes da década de 1960, não era possível encontrar estes gases na atmosfera, reforçando os indícios de que a origem seja humana.
Dentro das classes identificadas, um dos gases com maior relevância é o CFC-113a, descrito como uma matéria-prima utilizada na produção de piretróides, inseticida que já foi amplamente utilizado na agricultura. O estudo do hidroclorofluorocarboneto (HCFC-133a) tem grande importância devido à utilização na fabricação de refrigeradores e apesar de suas concentrações atuais serem pequenas, a taxa de crescimento é elevada.
Estas novas descobertas indicam que a destruição da camada de ozônio ainda permanece, e que novos estudos devem ser realizados para a identificação da origem do problema, além das ações que devem ser realizadas para controlar este impacto.

Os CFC são substâncias químicas focadas pelo programa do Ministério do Meio Ambiente (MMA), de Registro de Emissões e Transferência de Poluentes (RETP) pelos setores produtivos. O RETP, a ser implantado agora em 2014, constitui uma ferramenta de uso internacional, de levantamento, tratamento, acesso e divulgação pública de dados e informações sobre as emissões e as transferências de poluentes, por atividades produtivas, que causam ou têm o potencial de causar impactos maléficos para os compartimentos ambientais, ar, água e solo (MMA, 2010). O RETP é integrado ao Cadastro Técnico Federal/IBAMA (CTF) e está fundamentado em marco regulatório federal.

http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2014/03/cientistas-identificam-nova-ameaca-misteriosa-a-camada-de-ozonio.html

http://noticias.uol.com.br/meio-ambiente/ultimas-noticias/bbc/2014/03/10/cientistas-identificam-nova-ameaca-misteriosa-a-camada-de-ozonio.htm

http://www.bbc.com/news/science-environment-26485048 
http://noticias.terra.com.br/ciencia/sustentabilidade/descobertos-novos-gases-que-destroem-a-camada-de-ozonio,76c6a9688cd94410VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html 
http://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/questoes_ambientais/camada_ozonio/ 
http://www.mma.gov.br/clima/protecao-da-camada-de-ozonio 

{loadmodule mod_convertforms,InterNews}