Tabela periódica ganha quatro novos elementos

A União Internacional de Química Pura e Aplicada (IUPAC, na sigla em inglês) e a União Internacional de Física Pura e Aplicada (IUPAP) reconheceram a síntese de quatro novos elementos químicos; trata-se dos elementos de número atômico 113, 115, 117 e 118, identificados nas últimas décadas por cientistas russos, japoneses e americanos e que completam o sétimo período da tabela periódica.

Criados em laboratório por meio da fusão de átomos de outros elementos, com a ajuda de poderosos aceleradores de partículas, os novos elementos da tabela periódica não são encontrados na natureza e são muito instáveis, sofrendo decaimentos radioativos em milésimos de segundo. Segundo Sir Martin Poliakoff, Professor de Pesquisa em Química na Universidade de Nottingham, os novos elementos podem possuir grande potencial na fabricação de ogivas nucleares mais devastadoras do que as produzidas com plutônio, os quais emitem raios alfa mortais, que são muito mais prejudiciais do que radiações gama e beta.

A princípio poucos riscos são oferecidos por serem ainda muito instáveis, mas de antemão pode-se alertar sobre a periculosidade destes elementos químicos, que vão depender de vários fatores como a dose, concentração, tamanho, forma de contato, tempo e freqüência da exposição e até mesmo a sensibilidade de cada pessoa. 

Para os pesquisadores, o elemento de número 117 que ainda não havia sido observado antes, foi o de maior desafio. No elemento 118 foram observados apenas três átomos, sendo este considerado o maior elemento da tabela periódica no momento. Os nomes e seus símbolos com os quais serão representados na tabela periódica devem ser criados pelos responsáveis pela pesquisa. Quando aprovados pela IUPAC, em um processo que demora, aproximadamente, cinco meses, os novos nomes serão divulgados para o público.

Lembrando-se que na ciência nada é impossível, não há nada que impeça a abertura de uma oitava linha na tabela periódica, um grande desafio para os cientistas daqui para frente. 

Referências

http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/01/160104_novos_elementos_tabela_periodica_rb. Acesso em 07 de janeiro de 2016.

http://www.iupac.org/news/news-detail/article/discovery-and-assignment-of-elements-with-atomic-numbers-113-115-117-and-118.html. Acesso em 07 de janeiro de 2016.

http://oglobo.globo.com/sociedade/ciencia/tabela-periodica-ganha-quatro-novos-elementos-todos-superpesados-18404524. Acesso em 07 de janeiro de 2016.

http://www.express.co.uk/news/science/630790/Element-MORE-radioactive-than-deadly-plutonium-made-by-Japanese-has-no-known-use. Acesso em 07 de janeiro de 2016.

http://mundoestranho.abril.com.br/materia/qual-e-o-elemento-quimico-mais-perigoso. Acesso em 07 de janeiro de 2016.

{loadmodule mod_convertforms,Convert Forms}