Pesquisa aponta os países mais tóxicos do mundo

The EcoExperts, uma empresa especializada em projetos e ferramentas de energia renovável, promoveu uma recente pesquisa analisando 135 países do mundo e classificando-os em níveis de (eco)toxicidade. Os critérios para a classificação foram cinco: (i) nível de consumo de energia per capita, (ii) emissão de CO2 a partir da queima de combustíveis, (iii) poluição do ar, (iv) mortes causadas pela poluição do ar e (v) esforços para a promoção de energia sustentável.

O mapa separado por cores e detalhado a partir de uma escala que mede o grau de toxicidade por pessoa entre 1-15 (menos tóxico) até 121-135 (mais tóxico) foi liberado no início do ano e aponta como país mais tóxico a Arábia Saudita, tanto por ser o maior explorador de petróleo, quando por ter um dos mais baixos investimentos em energia sustentável.

Outros países extremamente poluidores, como a China, tiveram resultados melhores já que, para esse, há um plano de investimento de até 292 bilhões de euros em energia sustentável até 2020, diferente de outros países como Kwait e Qatar que elencam o ranking dos 10 países mais tóxicos do mundo.

Nessa mesma pesquisa o Brasil ocupou o nono lugar dentre os países menos tóxicos do mundo, junto com outros países como Etiópia, Zâmbia e Indonésia, o fato se deve por serem países ainda em desenvolvimento, no entanto esse estudo não levantou dados quanto a poluição da água, o qual desponta como um enorme problema nesses mesmos países.

Referências

http://www.businessinsider.com/map-of-the-most-polluted-and-toxic-countries-2017-2