Sustentabilidade do negócio - Idéias novas, para novos mercados

Escrito por Joao Furtado | 21 Outubro 2010

Empresas fim-de-tubo geram custos crescentes, para si e para a sociedade. Não previnem, nem reaproveitam resíduos e não equilibram o uso de insumos com os custos dos impactos causados. Ademais, terão que responder à Política Nacional de Resíduos Sólidos, recém-aprovada, que torna obrigatória a gestão preventiva de emissões e resíduos.

Muitas já deram passo à frente e introduziram mudanças no processo de fabricação e nos produtos, com menor consumo de recursos, de água e de energia. Outras, sob o titulo de Responsabilidade Social Empresarial, implementam projetos socioambientais e demonstram tais investimentos nos Balanços Sociais.

Além de rendimentos financeiros, muitas ganham prêmios e reconhecimento pelas iniciativas.

Outras foram ainda mais longe. Adotam Ecodesign, Ecoeficiência, Tecnologias limpas e outros instrumentos que ultrapassam as exigências do Sistema de Gestão Ambiental implantado.

Muitas, porém, estão atrasadas. Como está a sua?