Toxicologia Ambiental: Redução de oxigênio no ar causa sonolência na população de Kalachi

Na noite do dia 26 de Julho de 2015 o programa dominical da rede Globo, Fantástico, noticiou a descoberta do mistério recorrente em Kalachi. Durante dois anos cientistas estudaram a sonolência sem motivo aparente observada em alguns cidadãos do vilarejo no norte do Cazaquistão, efeito diagnosticado principalmente em crianças e idosos.

Conforme reportagem, acreditava-se que esse surto era devido à presença da mina de urânio fechada em 1980 e ainda abandonada no vilarejo pertencente à antiga União Soviética. O urânio é um elemento químico que possui propriedade radioativa e é utilizado pela indústria bélica na fabricação de bombas atômicas.

No decorrer do estudo muitos testes foram realizados nos alimentos, água, vegetação e população do vilarejo. Além de medições periódicas nas mediações da mina abandonada. Nenhum dos parâmetros até então estudados apresentavam causa direta com o fenômeno. Após dois anos, uma equipe de cientistas descobriu que o mistério tem ligação indireta com a mina de urânio. Segundo os cientistas, com a sua desativação a mina foi inundada e as madeiras ali utilizadas para sustentação sofreram consequente apodrecimento, levando à liberação de monóxido de carbono, metano e hidrocarbonetos. Ainda conforme os cientistas, esses gases dispersos em altas concentrações diminui o nível de oxigênio no ar.

O oxigênio presente no ar é inspirado e no pulmão difundi-se pelas membranas respiratórias, cai na corrente sanguínea e é distribuído para todos tecidos do organismo. A redução do nível de oxigênio no ar e consequente diminuição da sua concentração no sangue acarreta na distribuição deficiente desse gás para os tecidos, incluindo o cérebro. Para um bom funcionamento, o cérebro necessita de concentrações adequadas desse gás e sua diminuição pode causar depressão do funcionamento cerebral com sintomas como distração, movimentos descoordenados, estado de inconsciência, cansaço e ausência de respiração.

De acordo com a reportagem noticiada no Fantástico, parte dos cidadãos deixou o vilarejo, porém a maioria ainda se recusa a abandonar suas casas. Os médicos residentes no vilarejo também se preocupam com as consequências em longo prazo dos casos de redução de oxigênio no cérebro. Diante da descoberta, espera-se das autoridades competentes e responsáveis pela antiga mina um esforço conjunto para reversão dos impactos causados e rápido auxílio à população mais sensível e atingida.

Referências

Cientistas desvendam mistério de cidade que sofria de doença do sono. Disponível em: http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2015/07/cientistas-desvendam-misterio-de-cidade-que-sofria-de-doenca-do-sono.html. Acesso em 27 de Julho de 2015.

Apostila de fisiologia. Disponível em http://biologia.ifsc.usp.br/. Acesso em 27 de Julho de 2015.

{loadmodule mod_convertforms,Convert Forms}