O maior desastre químico da história ainda deixa suas marcas após 30 anos

Toxicologia

O maior acidente envolvendo produto químico ocorreu no dia 03 de dezembro de 1984, na cidade de Bhopal, Índia.

Durante a madrugada, cerca de 40 toneladas do gás metil-isocianato (MIC) vazou de um tanque estacionário da fábrica da Union Carbide e se dispersou para a atmosfera.

 

 

Toxicologia

Após a descoberta do vazamento, a empresa decidiu não alarmar a população sobre o acidente e não acionou as sirenes. As pessoas acordaram no meio da noite com tosse e com os olhos queimando. A defesa civil decidiu avisar a população e a instrução foi para que fugissem, porém as pessoas ainda acabaram inalando bastante gás.

No dia seguinte, 2.000 pessoas morreram e mais de 300.000 pessoas estavam intoxicadas. Estima-se que 8.000 pessoas morreram durante as primeiras cinco semanas.

Após 30 anos do acidente, os efeitos à saúde ainda são observados na população da cidade.

O metil-isocianato é empregado na produção de espuma de poliuretano, plástico e praguicida. O composto apresenta odor pungente e se evapora rapidamente. 

A inalação de baixas concentrações provoca irritação nos olhos e garganta, em concentrações maiores provoca dilatação dos alvéolos pulmonares e dificuldade para respirar, enquanto que em altas concentrações provoca dano pulmonar, além de causar queimadura química nos olhos. A inalação contínua do MIC provoca edema pulmonar, convulsões, parada cardiorrespiratória e morte.

Além dos efeitos agudos, o MIC apresenta efeitos genotóxicos e toxicidade à reprodução. Estudo realizado na época do acidente identificou aumento na taxa de abortos espontâneos de gestantes. Estudos em animais identificaram que o MIC provoca efeitos nocivos ao feto. Estudos conduzidos com mulheres que foram expostas ao MIC após o acidente, evidenciaram aumento de aberrações cromossômicas, e também alterações do ciclo menstrual.

Um levantamento realizado na época avaliou que de 865 gestantes que viviam próxima a empresa, 379 (43%) não deram a luz a bebês vivos. Outro acompanhamento identificou que de 2.566 gestantes, 23,6% tiveram abortos espontâneos, além de avaliar que a exposição ao gás provocou diminuição do tamanho da placenta, peso fetal, aumento no índice de mortalidade infantil, além de supressão de lactação, doenças inflamatórias, dentre outras.

Ainda hoje mais de 100.000 pessoas sofrem com os efeitos do gás devido ao acidente e, diversas ações contra a empresa ainda permanecem na justiça aguardando julgamento.

Referências
http://www.atsdr.cdc.gov/es/toxfaqs/es_tfacts182.pdf

Daya R. Varma; Shree Mulay. Handbook of Toxicology of Chemical Warfare Agents - Methyl Isocyanate: The Bhopal Gas. 
{loadmodule mod_convertforms,Convert Forms}