Intoxicação após vazamento de amônia

Cinco pessoas foram intoxicadas após um vazamento de amônia, na região de Tatuí, situada em Itapetininga da Serra, SP. Como foi noticiado nesta última segunda- feira (03/02) no portal de notícias G1 da Globo. Segundo o corpo de bombeiros, houve um vazamento após o rompimento de uma válvula compressora de refrigeração de uma indústria local. As cinco vítimas já foram hospitalizadas e passam bem.

O gás amônia considerado altamente irritante, sendo um dos gases inorgânicos mais utilizados pela indústria química na fabricação de fertilizantes, nitratos, ácido nítrico, explosivos, plásticos, produtos têxteis, agente refrigerante em sistemas frigoríficos e outros processos similares. É um gás de alta solubilidade em água por isso seus efeitos são vistos primeiramente nas áreas úmidas como olhos, orofaringe, epitélio e mucosa do trato respiratório.  

Na pele pode provocar queimaduras e enregelamento que dependem do tempo de exposição. Se ingerido, o gás provoca queimaduras na boca, faringe e laringe, além de favorecer grande salivação. Já em caso de exposições crônicas pode ocorrer sangramento nasal e/ou dos lábios, grave conjuntivite química, bronquite crônica com redução respiratória e danos aos rins.

Em caso de intoxicação pela amônia, o organismo tentará de todas as formas eliminar esse excesso, para que seu funcionamento retorne as suas funções fisiológicas. Sendo assim, dois órgãos têm um papel importante nesta etapa: o fígado e os rins, responsáveis pela depuração da amônia, sendo que o último consegue eliminá-la do corpo através da urina. Com o decorrer do tempo, o acúmulo de amônia no organismo sobrecarrega o fígado e os rins, comprometendo a eliminação da molécula e gerando intoxicação que pode levar o indivíduo a óbito.

A amônia possui limite de exposição, sendo definido como a concentração ou intensidade máxima ou mínima, relacionada com a natureza e o tempo de exposição ao agente, que não causará dano à saúde do trabalhador durante a sua vida laboral. Esta informação pode ser encontrada na Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos (FISPQ) de produtos que contenham a amônia em sua composição, sendo elaborada com a participação do corpo técnico de profissionais capacitados pela Intertox.