Aproveitamento agrícola de lodo de esgoto

O Diretor da Intertox Dr. Marcus da Matta, participou no dia 27 de fevereiro de 2013 da comissão julgadora do exame de qualificação de Mestrado, da aluna Maraline C. K. Zanatta, intitulada “Caracterização da toxicidade de lodos  de estação de tratamento de esgoto com vistas a sua aplicação agrícola”, na Faculdade de Tecnologia da Universidade Estadual de Campinas (FT-UNICAMP).

Um dos objetivos deste trabalho foi a aplicação do Índice de Perigo de Lodo de Esgoto (IPLE), o qual foi desenvolvido por Matta na sua  tese de doutoramento pela Faculdade de Medicina da USP no ano de 2011. O IPLE serve como uma ferramenta preliminar para a tomada de decisão em relação à periculosidade do lodo de esgoto gerado por Estações de Tratamento (ETE).

Atualmente diversas substâncias tóxicas e persistentes podem ser tratadas nos efluentes pelas ETE, que podem ser transferidas no final do processo para o lodo, cujo destino pode ser o solo agrícola. As legislações relacionadas ao tratamento de esgoto e aproveitamento agrícola de lodo, quanto à ocorrência de contaminantes químicos, se restringem a quantificação de um pequeno grupo de substâncias. Por ser inviável a caracterização completa dos possíveis contaminantes, o IPLE é uma medida indireta do perigo do lodo, que indica de forma preliminar lodos que precisam de maior atenção para o aproveitamento agrícola e reduz incerteza nessa prática.

 

REFERÊNCIAS, NOTAS OU LINKS

 

Para ter acesso a tese de doutoramento defendida por Marcus da Matta acesse: (http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5144/tde-07122011-134521/pt-br.php)