Toxicologia de cosméticos: Utilização do ácido glioxílico em cosméticos

O ácido glioxílico, ou ácido formilfórmico, é um composto orgânico que apresentam um ou mais grupos carboxila – COOH – ligados à cadeia de carbonos. É um intermediário do ciclo do glioxilato, que permite que determinados organismos possam converter ácidos graxos em hidratos de carbono. A base conjugada do ácido glioxílico é conhecida como glioxilato. Sua fórmula molecular é C2H2O3, Massa molar: 74,03548 g/mol, Ponto de ebulição: 111 °C, Ponto de fusão: 80 °C e estrutura química:

Segundo a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o ácido glioxílico é utilizado como ingrediente em produtos cosméticos com a finalidade de se realizar o ajuste do pH e ação tamponante. Quando submetido a altas temperaturas libera formol e isso implica risco à saúde do consumidor e do profissional do salão de beleza.

O formaldeído é considerado como corrosivo à pele, olhos e trato gastrointestinal, sensibilizante respiratório e à pele, mutagênico, tóxico agudo por meio da ingestão ou em contato com a pele e provoca danos ao sistema nervoso central e órgãos respiratórios por exposição única e repetida. Classificado pela IARC (InternationalAgency for ResearchonCancer) como conhecidamente carcinogênico para humanos (grupo 1), podendo provocar câncer de boca, narinas, pulmão e traquéia.

Nos últimos anos, no Brasil, os salões de beleza têm utilizado extensivamente o formaldeído como alisante capilar nas denominadas escovas progressivas (método de alisamento capilar que poderá ser feito diversas vezes para que se obtenha o efeito desejado). A ANVISA proibiu seu uso para esta finalidade, limitou seu emprego apenas como conservante na concentração de 0,2% (RDC nº 162 de 11 de setembro de 2001).

De acordo com a Agência, mesmo em pequenas concentrações, o ácido glioxílico apresenta risco à saúde, uma vez que não possui uma dose segura para a exposição do consumidor e do profissional do salão de beleza. Portanto, não existem dados suficientes que assegurem a utilização da substância em produtos com ação alisante e/ou submetidos a tratamento térmico.