Toxicologia: Bisfenol-A: o consumidor está seguro?

Ultimamente, no contexto regulatório da toxicologia, surgem notáveis discussões sobre os possíveis efeitos tóxicos do Bisfenol-A (BPA), uma substância utilizada no revestimento de embalagens de alimentos e bebidas. O BPA é um estrógeno sintético, CAS n° 80-05-7, usado na produção do plástico policarbonato numa forma transparente e rígida, presente em recipientes de líquidos e sólidos (inclusive mamadeiras infantis); e, também, presente na resina epóxi de enlatados.

O BPA empregado nas embalagens e recipientes pode migrar para os alimentos, ocorrendo a exposição.Sabe-se que apesar de ocorrer exposição diária, os consumidores não são alertados, pois não há informações sobre o BPA nos rótulos dos produtos. Segundo o jornal NewScientist, a produção  anual do BPA é de 3 bilhões de Kg, e, segundo estimativas, representa um valor de 500 mil dólares por hora na economia mundial.

Níveis seguros são ainda bastante discutidos no meio científico. Segundo a agência americana EPA (Environmental Protection Agency), a Dose de Referência (RfD) é de 5 x 10-2 mg/kg/dia,  para exposição crônica oral, considerando como efeito crítico “perda de peso significativa”. Segundo Cantonwine (2010), evidências vêm crescendo quanto à relação entre baixos níveis de exposição ao BPA, e o impacto na função tireóidea humana e no desenvolvimento do tecido placentário e prematuridade; sendo que estudos in vitro demonstraram que baixas doses (0,02 – 1 µg/mL) podem induzir morte de citotrofloblastos isolados de humanos. Devido a incertezas e variáveis endpoints, a ingestão diária tolerável (IDA) tem sido discutida no meio científico e entre agências regulamentadoras, já que, conforme a FDA (Food and Drug Administration), a IDA não seria o termo apropriado, uma vez que o BPA é uma impureza, e não um aditivo.

Em janeiro deste ano, a FDA atualizou sua posição quanto aos recentes estudos publicados sobre os riscos de exposição ao BPA, e afirmou que em cooperação com o Programa Nacional de Toxicologia, estão realizando pesquisas para tentar responder às questões e esclarecer incertezas. Provisoriamente, a agência tem dado suporte aos esforços para a substituição do Bisphenol-A e redução da exposição, com recomendações à indústria e aos consumidores.  O National Institute of Environmental Health Sciences afirmou que está investindo 30 milhões de dólares em financiamento de pesquisas no contexto do BPA.

Segundo o Green Century Funds, em matéria divulgada na última semana, 21, empresas americanas de grande porte, como a Hain Celestial, ConAngra e General Mills, estão tomando a frente na questão da retirada do bisfenol-A de seus processos produtivos, como resposta ao mercado consumidor quanto às questões levantadas sobre os riscos à saúde decorrentes da exposição ao BPA.

Sabe-se que nos últimos anos, muitas substâncias antes consideradas  atóxicas, foram caracterizadas como tóxicas, a partir de estudos mais detalhados de avaliação da toxicidade; estudos epidemiológicos; e outros. Cabe aos governos e empresas promoverem maiores interações entre seus setores responsáveis e as informações toxicológicas atualizadas.

Fontes:

CANTONWINE, D.; MEEKER, J. D.;  HU, H. Bisphenol A exposure in Mexico City and risk of prematurity: a pilot nested case control study.  Environmental Health, v.9 , n° 62 , s/p, 2010. Acessado em 25 de outubro de 2010, disponível em:

http://www.ehjournal.net/content/9/1/62

Chemical and Engineering News. Removing Bisphenol-A. Acessado em 26 de outubro de 2010, disponível em:

http://pubs.acs.org/cen/news/88/i43/8843notw7.html

EPA – Environmental Protection Agency. IRIS- Integrated Risk Information System. Bisphenol-A: a Quickview. Acessado em 26 de outubro de 2010, disponível em:

http://cfpub.epa.gov/ncea/iris/index.cfm?fuseaction=iris.showQuickView&substance_nmbr=0356

FDA (Food and Drug Administration ) . Update on Bisphenol A for Use in Food Contact Applications: January 2010. Acessado em 26 de outubro de 2010, disponível em:

http://www.fda.gov/NewsEvents/PublicHealthFocus/ucm197739.htm

Green Century Funds. BPA Hazard Spurs Industry Innovation. Acessado em 26 de outubro de 2010, disponível em:

http://www.greencentury.com/news/news/BPA_Hazard_Spurs_Industry_Innovation

New Scientist . Bisphenol A is everywhere – is it safe? Acessado em 26 de outubro de 2010, disponível em:

http://www.newscientist.com/article/mg20827834.600-bisphenol-a-is-everywhere--is-...25/10/2010

{loadmodule mod_convertforms,Convert Forms}