GPS – Global Product Strategy: As novas perspectivas da segurança química e da indústria química

Nos últimos anos grande ênfase vem sendo dada à importância da Avaliação do Risco Toxicológico em todo o ciclo e cadeia de emprego das substâncias químicas, desde o ambiente ocupacional ao cenário de uso geral, e ainda, seu comportamento no meio ambiente. De maneira segmentada, muitas estratégias foram elaboradas, em diversos países e esferas, em relação aos riscos químicos, na tentativa de promover uma utilização segura dos produtos, como o (i) controle regulatório de substâncias no comércio (a exemplo do REACH); (ii) legislações no âmbito ambiental, ocupacional, de transporte, consumo, etc.; (iii) uniformização da linguagem e classificação de perigos; (iv) criação de metodologias de avaliação de risco em diferentes contextos (saúde humana, ecologia, etc.); (v) aferição econômica das perdas e ganhos associados ao diagnóstico e manejo do risco, incluindo as questões securitárias.

Em 2002, na Reunião Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável, países estabeleceram o objetivo de que, até 2020, os produtos químicos seriam utilizados de maneira tal que houvesse a minimização de impactos à saúde humana e ao meio ambiente. Em Dubai, fevereiro de 2006, como resultado da Conferência Internacional das Nações Unidas sobre Gestão de Produtos Químicos, o ICCA (International Council Chemical Associations) propôs uma nova abordagem pró-ativa para a Indústria Química, e criou Carta Global de Atuação Responsável (ResponsIble Care® Global Charter - RCGC) e o GPS (Global Product Strategy), uma abordagem estratégica que visa harmonizar de maneira global a avaliação da segurança de produtos, através de medidas (entre outras, a que inclui avaliação e comunicação dos riscos) que melhoram a transparência das empresas em relação a seus processos e a confiança do público para com estas.

Alguns dos benefícios e vantagens da implementação do GPS são:

  • Reduzir as diferenças existentes na avaliação de segurança de produtos químicos principalmente em países em desenvolvimento e países industrializados;
  • Melhorar a aceitação das substâncias químicas pelos consumidores;
  • Harmonizar ao sistema global (GHS) e facilitar a comercialização dos produtos;
  • Facilitar a regulamentação de produtos químicos pelas agências regulamentadoras;
  • Conhecer os perigos associados a determinada substância e gerenciar o risco inerente;
  • Conferir transparência aos processos de avaliação de risco, informações a respeito dos produtos para outras empresas, fornecedores, etc.;
  • Garantir que os produtos químicos sejam manuseados com segurança em todas as fases dos respectivos ciclos de vida, e que sua utilização não cause efeitos à saúde humana e ao meio ambiente;
  • Comunicar o risco aos consumidores, garantindo assim maior segurança na utilização dos produtos, e também aos trabalhadores envolvidos no processo de produção.

A Intertox, empresa que se concentra no diagnóstico, detecção e controle do risco, possui profissionais capacitados e oferece serviços na área de avaliação e gerenciamento dos riscos químico, toxicológico, físico, biológico e ambiental, contribuindo, dessa maneira, para aumentar a margem de segurança da sociedade na realização de atividades que atendem a seus propósitos.