Inovação em Segurança e Saúde no Trabalho e Desenvolvimento Sustentável

Em seu artigo Inovação em Segurança e Saúde no Trabalho para o Desenvolvimento Sustentável (Industrial Occupational Safety and Health Innovation for Sustainable Development), publicado no periódico Engineering Science and Technology, em novembro de 2016, Kassu Jilcha e Daniel Kitaw descrevem a pesquisa abordando a importância da Inovação em Segurança e Saúde no Trabalho (SST) para se alcançar o Desenvolvimento Sustentável (DS).

Inicialmente, os autores citam os 3 pilares clássicos do Desenvolvimento Sustentável: Economia, Sociadade e Ambiente. Assinalam, a seguir, que diversos pesquisadores estão propondo a incorporação de 3 outros pilares: Cultura, Política e Tecnologia, juntamente com a inovação em SST, em todas as instituições relacionadas ao trabalho, para que se atinja, efetivamente, o Desenvolvimento Sustentável.

Figura 1- Os pilares do Desenvolvimento Sustentável: clássicos e novos
Figura 1- Os pilares do Desenvolvimento Sustentável: clássicos e novos

Acrescentam que o Desenvolvimento Sustentável será caracterizado por pessoas saudáveis, locais de trabalho seguros e saudáveis, redução das perdas resultantes dos acidentes e doenças do trabalho, ambientes controlados e uma sólida cultura de SST. Tradicionalmente, a gestão efetiva de SST não era uma preocupação de todos os dirigentes e gerentes das instituições, mas, atualmente, é considerada fundamental para o sucesso dos negócios.

A materialização do Desenvolvimento Sustentável exige que a força de trabalho, responsável pela produção de bens e serviços para o atendimento das necessidades de toda a população, esteja protegida contra acidentes e doenças, em todos os locais de trabalho.

Com base na pesquisa The relationship between occupational safety, health, and environment, and sustainable development: a review and critique, publicada no Int. J. Innovation Manage. Technol, em 2014, os autores ressaltam que Desenvolvimento Sustentável e gestão de Segurança, Meio Ambiente e Saúde (SMS) têm atraído a atenção de pesquisadores nos últimos anos e que o Desenvolvimento Sustentável não pode ser imaginado sem se considerar o ambiente, a sociedade, a economia e as condições de trabalho.

Os acidentes e doenças do trabalho podem ter um grande impacto negativo sobre a produtividade, a competitividade e a imagem das empresas, bem como sobre a subsistência dos trabalhadores e de suas famílias. Em nível nacional, podem causar um dano humanitário e econômico intolerável, prejudicando a reputação dos negócios e impactando negativamente o crescimento econômico.

Por outro lado, fundamentados no artigo publicado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) Safety and health at work: a vision for sustainable prevention: XX World Congress on Safety and Health at Work 2014: Global Forum for Prevention, 24–27 August 2014, Frankfurt, Germany/International Labour Office. Geneva, 2014, os autores afirmam que a prevenção se paga, uma vez que as perdas causadas pelos acidentes e doenças do trabalho são muito maiores do que se estimava anteriormente.

Desenvolvimento Sustentável

Os autores definem Desenvolvimento Sustentável como o uso ótimo de recursos em todos os aspectos. Na Cúpula do Rio (Rio 92) foi definido como a estratégia para atender às necessidades da população mundial atual sem causar efeitos adversos à saúde e ao meio ambiente e sem comprometer a capacidade das gerações futuras, no atendimento de suas necessidades.

Consideram o Desenvolvimento Sustentável como uma resultante do progresso global simultâneo nas dimensões econômica, humana, ambiental e tecnológica. Os ganhos adquiridos pela aplicação das Melhores Práticas de Gestão podem ser prejudicados pelos elevados custos econômicos e sociais resultantes da falta de efetividade dos programas de SST.

A estratégia de Desenvolvimento Sustentável de uma organização deve ser avaliada em conjunto com outros aspectos, tais como a lucratividade, a utilização dos recursos e a efetividade dos programas de SST e de proteção ambiental (SMS). Os autores consideram que as questões econômicas e os aspectos de SST são variáveis inseparáveis e que as mudanças culturais, políticas e tecnológicas são as dimensões negligenciadas na trajetória rumo ao Desenvolvimento Sustentável.

Inovação no Local de Trabalho

A inovação no local de trabalho deve promover mudanças radicais nos sistemas produtivos, aumentando a lucratividade das empresas. No entanto, a maioria das discussões e pesquisas sobre inovações está focada no desenvolvimento de novos produtos e serviços ou melhoria de processos, desconsiderando a inovação no local de trabalho.

A inovação no local de trabalho aborda como as pessoas são alocadas para melhorar seu desempenho e para criar empregos de qualidade. A definição de inovação no local de trabalho atribuída a Pot1 abrange a implementação de intervenções novas e combinadas nos campos de organização do trabalho, gestão de recursos humanos e tecnologias de suporte. É considerada complementar à inovação tecnológica e amplamente reconhecida entre os dirigentes responsáveis pela elaboração de políticas públicas na União Europeia.

A experiência sugere que a inovação tecnológica representa 25% do sucesso na inovação, enquanto que 75% corresponda â inovação no local de trabalho2. Apesar da evidência do impacto da inovação no local de trabalho nos resultados de desempenho das organizações, poucas empresas estão investindo nesta área.

Mostra-se necessário mais foco na prática de inovação no local de trabalho e investimento em capacitação para avaliar o impacto que ela tem na melhoria dos níveis de produtividade. A inovação no local de trabalho resulta em "situações de trabalho ativo" onde os trabalhadores têm autonomia para controlar suas demandas de trabalho combinada com uma capacidade de aprendizagem e resolução de problemas3.

Eeckelaert et al.4 mostraram que as áreas de inovação no local de trabalho lidam com o design da organização, o design de tarefas de gerenciamento e o design de postos de trabalho com o objetivo de melhorar, simultaneamente, o desempenho organizacional e a qualidade da vida profissional, afetando as funções internas e as funções externas das organizações.

A relação entre Inovação em SST e Desenvolvimento Sustentável

Esta relação tem recebido pouca prioridade nas pesquisas. Atualmente, o impacto da SST no desenvolvimento econômico não tem importância reconhecida, uma vez que as indústrias apresentam sérias precariedades nessa área. Os locais de trabalho inseguros e insalubres são incompatíveis com o almejado Desenvolvimento Sustentável, em decorrência das perdas sociais, econômicas e ambientais, principalmente nas economias em desenvolvimento.

Segundo o documento EU OSHA FACTS SHEET 76- National economics and occupational safety and health, publicado em 2007, a OIT estima que os acidentes e as doenças do trabalho custam até 10% do PIB nos países da América Latina. Como em 2018, o PIB brasileiro foi de R$ 6.8 trilhões, as perdas com acidentes e doenças do trabalho totalizaram R$ 680 bilhões.
A Figura 2, a seguir, representa esquematicamente as relações entre Gestão de Segurança, Meio Ambiente e Saúde (SMS) e Sustentabilidade. Ela mostra que as condições de trabalho influenciam os 3 pilares clássicos da Sustentabilidade (Economia, Sociedade e Ambiente) e são afetadas pela política da empresa para o Desenvolvimento Sustentável.

As relações entre Gestão de SMS e Sustentabilidade
Figura 2- As relações entre Gestão de SMS e Sustentabilidade

Além disso, a Fig. 2 evidencia que trabalhar em condições seguras e saudáveis aumenta o desempenho dos trabalhadores, aumenta sua motivação e eficácia, aumenta a produtividade do negócio e, consequentemente, melhora a qualidade dos produtos e serviços, além de reduzir os custos e aumentar as vendas e as receitas a longo prazo. A qualidade dos produtos e serviços de uma empresa influencia a saúde das pessoas na sociedade e afeta significativamente o ambiente em que as pessoas vivem e trabalham5.

Diversos pesquisadores discutiram as dimensões do Desenvolvimento Sustentável e as abordagens de melhoria da SST, mas não perceberam a influência da Cultura, da Política e da Tecnologia. Uma cultura positiva gera bons lemas sociais em que as pessoas se dedicam a contribuir para o Desenvolvimento Sustentável, melhorando todos os fatores a ele relacionados. Da mesma forma, políticas públicas adequadas levam a um requisito essencial que é a estabilidade social.

A Organização Mundial de Saúde considera locais de trabalho seguros e trabalhadores saudáveis como os pré-requisitos para a produtividade e o Desenvolvimento Sustentável6. A figura 3 mostra a visão moderna dos autores em relação ao Desenvolvimento Sustentável.

Os 6 Pilares da Sustentabilidade
Figura 3- Os 6 Pilares da Sustentabilidade

A inovação em SST é importante rota para o Desenvolvimento Sustentável por melhorar as seguintes áreas básicas: minimização de acidentes e doenças do trabalho, redução de perdas, desenvolvimento de sistemas efetivos de gestão de SMS, estabelecimento de responsabilidade para dirigentes, gerentes, supervisores e trabalhadores, garantia de participação dos trabalhadores, criação de um fluxo consistente de comunicação em toda a organização e compartilhamento de experiências, com foco em cultura, tecnologia, política, economia, sociedade e ambiente.

1 F.D. Pot, Workplace innovation for better jobs and performance, Int. J. Prod.Perform. Manage. 64 (4) (2011) 404–415.
2 Pot, F. Karolus Kraan, Peter R.A. Oeij, Robert Vergeer, Steven Dhondt, Workplace innovation and its relations with organizational performance and employee commitment. E-journal Lifelong Learning in Europe, 4.
3 Kassu Jilcha, Daniel Kitaw, Birhanu Beshah, Workplace innovation influence on occupational safety and health, Afr. J. Sci. Technol. Innovation Dev. 8 (1) (2016) 33–42.
4 Eeckelaert, L. Steven Dhondt, Peter Oeij, Frank Pot, Georgiana Ioana Nicolescu, AlinaTrifu, Jennifer Webster, Review of workplace innovation and its relation with occupational safety and health, Luxembourg: European Agency for Safety and Health at Work: Publications Office of the European Union, 2012.
5 Adam Szirmai, Developing countries and the concept of development: The Dynamics of Socio-Economic Development: An Introduction, Cambridge University Press0521817633 – Excerpt, 2005.
6 WHO, Health indicators of sustainable jobs, presented at Initial findings from a WHO Expert Consultation, pp. 17–18, 2012.

Newton Richa – Médico do Trabalho
Representante da UFRJ na Comissão Nacional de Segurança Química (CONASQ/MMA).